Este espaço comunicativo foi pensado com o propósito de facultar a todos os interessados um conjunto de reflexões e recursos didácticos relativos ao ensino das disciplinas de Filosofia e Psicologia, acrescentado com alguns comentários do autor.

posts recentes

Dispersos de um confiname...

O fator TEMPO

Prometer ilusões

Vírus instruído e pessoas...

A tarefa da Filosofia hoj...

Dispersos de um confiname...

Política de "Cartel"

O pós-coronavírus e os no...

25 de Abril, memória(s) e...

Retorno ao valores

Lição de otimismo

Um Elogio à Ciência

Quanto vale a competência...

Educação (sem) paixão?

A Política do ‘Espetáculo...

Deixem(-nos) ensinar!

Duvidar e questionar

Para lá das aparências

Think outside the box

A Política e a construção...

Violência e Política

Ética, Política e Corrupç...

Democracia e racionalidad...

Esgotados, insatisfeitos ...

Elogio a Saramago e à Fil...

E (quase) tudo o Leslie l...

O Desejo de Poder

Política com Valores

Há Futuro?

A vida é demasiado curta

O valor da Filosofia

O que é a Filosofia? (Víd...

A democracia sem partidos...

5 de Outubro - DIA MUNDIA...

Da "política do medo" à p...

Política: da teoria à má ...

Filosofia, pensamento crí...

Reuniões, reuniões... e b...

Dia Internacional da Filo...

Escola a Tempo Inteiro: u...

Lobbying na RAM?

Profissionalismo e Profis...

Kant e a intenção na ação

Uma lição de estética

Ser professor hoje

Tempo e Liberdade

O que é a Guerra?

O aborto: questões para u...

Retórica "branca" e retór...

Do concurso de Professore...

arquivos

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Dezembro 2019

Outubro 2019

Julho 2019

Junho 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Novembro 2018

Outubro 2018

Junho 2018

Março 2018

Janeiro 2018

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Junho 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Maio 2013

Março 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Maio 2007

Relógio:

Setembro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


sobre mim:

Sexta-feira, 3 de Abril de 2020

Lição de otimismo

 

 

Otimismo.jpg

 

A geração X (que compreendia, a meio da década que findou no início de 2020 cerca de 2 mil milhões de pessoas) – aquela em que me insiro, pois vim ao mundo em 1976 – abrange os nascidos entre 1965 e 1981, já viveu, em média, meio século e assistiu, resistiu e reagiu a fenómenos tais como:

- uma recessão mundial, após a crise do petróleo de 1973, quando a OPEP triplicou o preço do barril do crude;
- o escândalo político americano “Watergate” (1974);
- a “Revolução dos Cravos” (25 de Abril de 1974) e à independência das colónias portuguesas;
- o fim da Guerra Fria (1945-1991);
- a guerra entre a ex-União Soviética e a resistência Mujahideen no Afeganistão (1979-1989);
- a guerra entre o Irão e o Iraque (1980-1988);
- a guerra das Malvinas, entre a Argentina e o Reino Unido (de 2 de Abril de 1982 e 14 de Julho de 1982);
- a primeira “Intifada” na Faixa de Gaza e na Cisjordânia (1987)
- a guerra de Nagorno-Karabakh, entre o Azerbaijão e a Arménia (1988-1994);
- o protesto estudantil na Praça da Paz Celestial (Tian'anmen), a 4 de junho em 1989;
- a decisão do ex-presidente americano, Ronald Reagan, de instalar misseis nucleares de médio alcance na Europa Ocidental;
- o acidente/desastre de Chernobil, entre os dias 25 e 26 de abril de 1986, no reator nuclear n.º 4;
- o assassinato de John Winston Ono Lennon, co-fundador dos Beatles (8 de dezembro de 1980);
- a descoberta do síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA), em 1981;
- o atentado contra Karol Józef Wojtyła, Papa João Paulo II (1981);
- a queda do Muro de Berlim (9 de Novembro de 1989);
- a primeira Guerra do Golfo (de 2 de agosto de 1990 a 28 de fevereiro de 1991);
- o fim do apartheid e a eleição de Nelson Mandela como primeiro presidente negro da África do Sul (1994);
- a um genocídio no Ruanda – de grupos étnicos tutsi, twa e de hútus – entre 7 de abril e 15 de julho de 1994;
- a um conflito armado (e massacre étnico) na região da Bósnia e Herzegovina, entre abril de 1992 e dezembro de 1995;
- a um conflito bélico na Chechénia, após a sua declaração de independência, e que durou entre 1994 a 1996;
- a devolução, por parte do Reino Unido, de Hong Kong à República Popular da China (1997);
- a devolução de Macau, por Portugal, à China (20 de dezembro de 1999);
- os ataques ou atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, contra alvos estratégicos nos EUA, por parte da organização terrorista al-Qaeda;
- o nascimento do Euro (€), a nova moeda oficial da zona Euro), constituída por 19 dos 27 estados-membro da União Europeia:
- o surgir do Síndrome respiratória aguda grave (SARS,) em 2002, uma doença respiratória viral de origem zoonótica causada pela infeção com o coronavírus (SARS-CoV);
- a independência de Timor-Leste, após o fim da ocupação militar por parte da Indonésia que durou mais de duas décadas (2002);
- uma segunda guerra e invasão do Iraque em 2003, que começou a 20 de março e terminou no dia 1 de maio do mesmo ano;
- um sismo, seguido de tsunami, no Oceano Índico (dezembro de 2004), que causou a morte a mais de 230 mil pessoas em 14 países da região;
- o furacão Katrina, cujos ventos alcançaram mais de 280 km/h e causaram enormes prejuízos em Nova Orleans (agosto de 2005), de donde foram evacuadas mais de um milhão de pessoas e resultaram 1836 mortes diretas;
- o eclodir da crise financeira de 2007–2008, precipitada pela falência do banco de investimento Lehman Brothers, que originou um efeito dominó/contágio a outras importantes instituições financeiras internacionais ("crise dos subprimes");
- uma guessa Russo-Georgiana (Ossétia do Sul), que durou cinco dias e que deflagrou em agosto de 2008;
- o ciclone Nargis, em 2008, que deixou na nação do sudeste asiático, Mianmar, 136 366 mortos;
- a tomada de posse do primeiro presidente negro do EUA (o 44º), Barack Obama, a 20 de janeiro de 2009;
- a chegada da primeira pandemia do novo milénio, a gripe A (inicialmente designada por “gripe suína”), em abril de 2009, mas cujos primeiros casos surgem no México, em março;
- a eleição da primeira mulher como presidente do Brasil, Dilma Rousseff (2010);
- a “Primavera Árabe”, uma espécie de onda revolucionária onde manifestações e protestos emergiram um pouco por todo o Médio Oriente e Norte da África (dezembro de 2010);
- a captura e morte do líder e ditador líbio, Muammar Mohammed Abu Minyar al-Gaddafi (2011);
- a morte de Hugo Rafael Chávez Frias, o 56º Presidente da Venezuela, em 2013;
- a assinatura, por parte de 195 países, do Acordo de Paris, que impõe medidas de redução de emissão dos gases de efeito-estufa, a partir de 2020, a fim de conter o aquecimento global abaixo de 2º C, procurando também criar as condições para um desenvolvimento sustentável (2015);
- a tomada de posse de Donald Trump como o 45º Presidente dos EUA, a 20 de janeiro de 2017;
- a chegada ao poder, e após a saída de Michel Temer, de Jair Bolsonaro como Presidente da República do Brasil (2019).
- a Câmara dos Representantes no EUA aprovar um impeachment, ao atual presidente Donald Trump, acusando-o de abuso de poder e obstrução ao Congresso.

 

E agora, já em 2020 – se formos mais precisos, em dezembro de 2019, mês em que a Comissão Municipal de Saúde de Wuhan, na província de Hubei (China), reportou os primeiros 27 casos de uma pneumonia de causa desconhecida –, ano em que surge, por confirmação do Centro de Prevenção e Controlo das Doenças da China, um novo coronavírus (SARS-CoV-2), causa da agora apelidada Covid-19 e declarada pandemia pela OMS…, esta mesma geração X, acompanha, vive, resiste e também luta – e vai evidentemente subsistir – contra este colossal problema, que é simultaneamente um desafio para toda a humanidade.

Somos ainda mais de mil milhões de pessoas e ultrapassaremos estes tempos difíceis tal como superamos outros até aqui! Afinal, nada se pode levar a efeito sem uma grande dose de otimismo! Juntos, seremos mais fortes que a Covid-19!

 

 

Miguel Alexandre Palma Costa

 

 


rotasfilosoficas às 17:30

link do post | favorito

pesquisar

 

O tempo por cá

links

Bandeira portuguesa Pictures, Images and Photos